ANS participa de evento para debater a judicialização de procedimentos médicos

Notícias

Publicado em 25/03/2024 19h14 Atualizado em 26/03/2024 09h41

 

     

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) participou da 2ª edição do Simpósio “O Direito e a Saúde: repensando a judicialização”, que aconteceu nos dias 21 e 22 março, em Florianópolis, Santa Catarina. 

Como representantes da ANS, o diretor de Normas e Habilitação dos Produtos, Alexandre Fioranelli; a secretária-executiva da ANS, Lenise Secchin; e a diretora-adjunta de Desenvolvimento Setorial, Angélica Carvalho, realizaram palestras para um público formado por profissionais da saúde e do direito como médicos, desembargadores, juízes, advogados, gestores de fontes pagadoras e de hospitais. 

Alexandre Fioranelli participou da mesa-redonda “Transtorno do espectro autista – Superando desafios”. Ele destacou que a Agência tem mantido conversas com todos os envolvidos na saúde suplementar para que os obstáculos sejam vencidos. “A ANS tem buscado incessantemente junto à sociedade encontrar caminhos para equilibrar as demandas dos beneficiários, a capacidade instalada para atendimentos de qualidade aos pacientes e sem perder de vista a sustentabilidade do setor”, afirmou.

 

Diretor de Normas e Habilitação dos Produtos, Alexandre Fioranelli

“A realização desse simpósio favorece o diálogo direto, franco e técnico entre os atores da saúde suplementar. Um bom sistema de saúde é vontade e responsabilidade de cada um de nós”, afirmou Lenise Secchin, que foi a palestrante do painel “Desafios regulatórios da ANS”. 

 

Secretária-executiva da ANS, Lenise Secchin

Já Angélica Carvalho contribuiu no debate “Atenção primária da saúde”. Ela abordou o entendimento da Agência sobre a regra de certificação do modelo vigente e reforçou a sua importância para promover o desenvolvimento setorial sustentável. “Na saúde suplementar, nem tudo que chamam de atenção primária em saúde atende aos critérios da ANS. Por isso, fizemos a certificação como uma ação indutora e de investimento para as operadoras que objetivam a adoção das melhores práticas assistenciais, garantindo acolhimento, coordenação e integralidade de cuidado. Tais ações são fundamentais para o melhor direcionamento do paciente na rede, evitando perda de tempo, judicializações desnecessárias e desperdício de recursos e podendo levar a um melhor desfecho clínico possível”, ressaltou. 

 

Diretora-adjunta de Desenvolvimento Setorial, Angélica Carvalho

 

Organizado pelo Hospital SOS Cárdio, o simpósio teve como objetivo debater, refletir e buscar mecanismos para diminuir e evitar a judicialização no setor da saúde suplementar. 

 

Saúde e Vigilância Sanitária

 


488.657

Acessos ao site

Eventos



  • Academia SBCCV
  • Evento Nacional
  • Evento Internacional